“30 ANOS DE ROCK IN RIO”
por Caco Barros

Com uma trajetória de êxito e comemorando seu 30º Aniversário, o  ROCK IN RIO do empresário e idealizador Roberto Medina, movimenta e dinamiza mais uma vez o cenário de entretenimento do rock em 2015 no Brasil, mesmo em tempo de maus ventos na economia do país.
Ele conta que no início, o projeto do festival foi recusado por mais ou menos uns 200 empresários nos Estados Unidos e que, somente após realizar um coquetel em sua suite para 30 pessoas, a pedido do empresário de Frank Sinatra, onde estavam presentes importantes jornalistas e colunistas, que após publicarem o imponente projeto do empresário brasileiro em vários veículos de comunicação americanos, que foi despertado o interesse de muitos agentes, artistas e mecenas pelo projeto, chegando até a formarem fila em frente ao apartamento do próprio Medina.
O Brasil não era rota comum de shows para os artistas da música internacional, e nem tão pouco para os grupos veteranos de rock.
Mas a partir da sua 1ª Edição em 11 de Janeiro de 1985 no RJ, o sonho do empresário Roberto Medina havia tomado forma, reunindo megas atrações do rock e da Música Internacional, bem como bandas nacionais que estavam emergindo naquela época. Grupos como Queen, AC/DC, Iron Maiden, Barão Vermelho, Paralamas do Sucesso e nomes como James Taylor, Santana, Joe Coocker, Ozzy Osborne, entre outros, abrilhantaram o festival, onde os veteranos coroaram seus reinados quase absolutos, ganhando mais fãs e conquistando um incrível mercado do Show Business em terras brasileiras, e também onde “os ainda desconhecidos” ou “os pouco conhecidos”, foram expostos nesta sensacional vitrine adentrando os Portais do Sucesso e da  Fama no Brasil e no mundo.
Os ecos desse mega festival de rock  despertou a atenção de muitos países, mas sobretudo da Espanha e de Portugal que se tornaram entusiastas e consequentemente sediariam em suas capitais anos depois, a franquia do festival: ROCK IN RIO/Madri e ROCK IN RIO/Lisboa, onde nessa última, o Brasil ancorou em Águas Lusitanas e descobriu Portugal, elegendo também sua capital como uma nova Cidade do Rock. E em breve, aterrissando em terras americanas, o ROCK IN RIO/Las Vegas desembarcará como uma nova e promissora aposta do empresário.

A que se deve esse estrondoso sucesso, com uma imediata adesão da massa a cada edição e um crescimento cada vez maior de adeptos?
Seria a sua fórmula?
De reunir elementos que estrategicamente combinados num mesmo local, seduzem e arrebanham mais e mais pessoas?

Acredito que um pouco da avidez do público desde a 1ª Edição do ROCK IN RIO, (além da novidade que representava para a época, é claro) de uma maneira geral, se deva a uma vontade (talvez inconsciente) de viver, ou reviver algo semelhante àquela nostálgica e tão famosa atmosfera, que se instaurou no histórico e épico Festival de Rock WOODSTOCK, o qual simbolizava e imprimia naqueles corações e mentes, a idéia da música, da paz e do amor livre onde sua tônica principal era a Liberdade.
E após 30 anos, vejo que o ROCK IN RIO computa em seu legado a legitimidade do sucesso absoluto no cenário de entretenimento do rock nacional e internacional, mas deve se atentar a não usar fórmulas repetidas para atrair a massa e, nem esquecer de apostar em novidades da música nacional ainda desconhecidas, que têm relevância artística e busca um espaço ao sol.
Mesmo sendo palco de ressurreição e de batismo para vários artistas, e sepultamento de reputação para outros, a espetacular vitrine do ROCK IN RIO será sempre uma grande homologação e um importante credenciamento profissional para os músicos do Brasil e do mundo que dele participarem.

Nós da Revista Digital PLANET MUSIC, parabenizamos à todos os envolvidos na realização do Rock in Rio desde o seu início! Desejamos longevidade e mais sucesso sempre!

Salve a Música do Brasil!
Salve a Música do Mundo!

(Caco Barros, colunista e colaborador da Revista Digital PLANET MUSIC, direto da redação)
——————————————


FATOS E CURIOSIDADES DO
ROCK IN RIO/2015

ADAM LAMBERT se apresentou com o grupo Queen e causou divergências de opiniões ao ser comparado (injustamente) com o ícone Fred Mercury, incomparável. Adam que venceu um reality show como cantor, foi elogiado por uns e desprestigiado por outros. Virou fã de Ney Matogrosso e de seu ex grupo Secos e Molhados.

JOHNNY DEPP, ALICE COOPER e JOE PERRY do Hollywood Vampires, entoaram alguns covers e convenceram o público em seu propósito. E teve canja do guitarrista brasileiro Andreas Kisser. Mas ganharam a empatia de muitos com uma ação surpreendente, generosa, inesperada e por quê não dizer, filantrópica, ao doarem 215 aparelhos auditivos à adultos e crianças com deficit de audição no Rio de Janeiro.

PÚBLICO questiona e reclama da prática dos preços abusivos na alimentação do local, da falta de postos de informações pela cidade e também de vazamento de esgoto no banheiro do festival.

MINISTÉRIO DO TRABALHO flagrou trabalhadores do festival dormindo em papelões na cidade do rock.

CRÍTICA E PÚBLICO comentam que alguns artistas como Rod Stewart, Elton John, Paralamas do Sucesso, Skank, Capital Inicial, Barão Vermelho, Metallica, entre outros, são atrações esgotadas para o festival.

PROFETAS DE PLANTÃO estimam que a longevidade do Rock in Rio esteja intrinsecamente ligada à escolha de suas atrações. E sugerem uma curadoria que não privilegie os mesmos artistas de sempre, mas dê oportunidades à novas bandas e novos artistas nacionais que merecem estar nessa vitrine para justificar cada vez mais a edição brasileira.


Obrigado por sua leitura e até a próxima edição!


Comentários e sugestões escreva para: cacobarros.eu@gmail.com


(Caco Barros, colunista e colaborador da Revista Digital PLANET MUSIC, direto da redação)

Sobre o Autor

Caco Barros é um cantor e compositor paulistano com 3 CD's autorais gravados e acaba de finalizar seu EP "O Samba é Meu Papel" com 4 músicas de sua autoria. Em suas interpretações, ele mistura e evidencia elementos musicais brasileiros originais, com ritmos, melodias e arranjos ecléticos e ricos. Dono de uma voz forte e timbre brilhante, valoriza em seu canto a dicção, a fim de enriquecer a poesia onde o expectador possa compreender claramente cada mensagem cantada. Integrou a Companhia de Menestréis a convite de Oswaldo Montenegro, onde trabalhou ao seu lado durante três anos, atuando em seu espetáculo musical NOTURNO em seu elenco de 1991. Apresentou-se em vários projetos musicais desde então. Entre 1997 e 1999 apresentou-se em Paris e Roma. Em seus shows apresenta um repertório de composições inéditas de sua autoria, canções dos seus CDs "INVERSO", "A VOZ E O VIOLÃO DE CACO BARROS" e o EP "O SAMBA É MEU PAPEL", além de parcerias e grandes clássicos da MPB, e internacionais. Atua também no mercado de propaganda, criando e produzindo jingles, trilhas e locuções para empresas, algumas delas como Swatch, Itaperimirim, Invel, Lenovo, Casas Bahia, C&A, Lojas Marabraz, Dialeto Latin American Documentary, Revista Luxo, IBM entre outras. Realiza também vários eventos musicais para o mercado corporativo e redes de hotéis. Em seu novo álbum, Caco Barros mostra toda a sua "Brasilidade Pop" dentro do Samba, com linguagens modernas e retrôs, uniformizando suas canções autorais com características próprias, prontas para embarcar no mercado nacional e internacional. PARCERIAS MUSICAIS Ao longo de sua carreira, Caco Barros tem cantado ao lado de vários artistas como, Luiz Ayrão, Oswaldo Montenegro, Fat Family, Paulinho Boca de Cantor (ex Novos Baianos), Maria Gadú, Netinho dos Incríveis, Perla, Sandro Haick, Tânia Maya, entre outros. DISCOGRAFIA ÁLBUNS CD "INVERSO" Em seu CD de estréia intitulado INVERSO, que conta com as participações de Oswaldo Montenegro, Tânia Maya, Suely Cipriano e Celinho Cipriano do Fat Family, Caco Barros nos apresenta dez canções autorais bem ecléticas, onde se evidencia sua versatilidade e criatividade musical. O CD INVERSO foi gravado metade no RJ e metade em SP em 2002 e lançado em 2004. CD "A VOZ E O VIOLÃO DE CACO BARROS" Nesse álbum, Caco Barros registrou sua originalidade artística, apresentando suas canções em formato Voz e Violão com ambientação musical orgânica. São 12 músicas autorais compiladas num CD para apreciar e conhecer um pouco mais da obra do artista. Gravado de forma independente no ano de 2009 em estúdio de altíssima qualidade, esse trabalho foi lançado e disponibilizado na web, com venda a granel no site do artista. EP "O SAMBA É MEU PAPEL" Esse é o trabalho mais recente de Caco Barros, o qual foi produzido e arranjado pelo genial Sandro Haick, que é um dos poucos produtores multi instrumentistas brasileiros do cenário musical. São quatro canções autorais com linguagens musicais modernas e originais, preservando sempre as características do samba e suas vertentes mais genuínas. Com letras bem construídas, melodias criativas e arranjos arrojados, o resultado foi um EP de altíssimo nível de qualidade, onde Caco mergulha em seu universo do samba e desfila com interpretações ímpares e bem humoradas. LINKS VÍDEO CLIP http://youtu.be/hxwVnZCwdTY ENTREVISTA CBN http://youtu.be/c7DWTlrPi84 TV http://youtu.be/aNDuUpwm-0Y REDES SOCIAIS • SOUNDCLOUD.com/cacobarros • FACEBOOK.com/cacobarros • INSTAGRAM.com/cacobarros • SKYPE.com/cacobarros