S de Samba é nome da produtora dele. O swing está na voz, no corpo e na arte. Wilson Simoninha é uma mistura do que faz a gente cantar, dançar e se alegrar na poesia das suas composições e tantas interpretações de clássicos que ele faz de forma única. Quem já assistiu, voltará. Quem não viu, precisa ver. E além de tudo, um amigo da simplicidade da vida. Valeu Simoninha por ter mais um pouco de você aqui…

 

Simoninha por Simoninha, defina-se numa frase: Sou sei que sou, capaz de ser melhor eu sei quem sou.

Quando você está sozinho, o que costuma ouvir e o que músicas influenciam tuas composições? Depende do estado de espírito, as vezes novidades, as vezes clássicos. A música serve como inspiração para as novas composições. A música me leva para um mundo muito particular.

Todo músico tem suas divas, suas paixões, você quando escreve usa histórias reais ou as fontes do imaginário? Vale tudo, você não pode ter freios na imaginação, uma coisa ajuda a outra. As Divas e paixões se misturam entre a ficção e a fantasia. Cada música é um nova ou a continuação de uma história. 

Você vem de uma família totalmente musical, o que você mais aprendeu com teu pai? A dedicação, a entrega e o amor pela música.

O que você ainda não fez e gostaria de fazer como artista? Muitas coisas, ainda existem muitos sonhos a realizar a música não pode parar!

Uma história irreverente…  É comum algumas pessoas confundirem eu com meu irmão o Max de Castro e isso já deu vários tipos de confusão. Uma divertida foi uma fã em um show que se derreteu pensando que eu era o Max eu deixei ela falar bastante até que fiquei constrangido ai falei que ia cumprimentar um amigo e sumi dando muitas risadas.

Você acredita que o mercado musical para a MPB e o samba precisa fazer mais esforço para manter seu espaço hoje do que em algumas décadas atrás?  Hoje vivemos um momento diferente, precisamos inventar novas maneiras de nos conectar com novos públicos, acho que cada vez será mais difícil fazer uma carreira de sucesso como gerações anteriores.

Das tuas turnês e shows internacionais, qual o país que você mais gostou de tocar e qual a diferença do público brasileiro? Gosto da Europa de maneira geral mas o Japão é meu preferido. O respeito  pela nossa música é incrível.

Quais os próximos passos do Simoninha? Disco, música, shows… o que você tem em mente? Novo disco, novos shows tudo um pouco. A dificuldade está em não perder a coerência artística e sempre lembrar que o palco é o lugar onde me sinto mais a vontade.

Uma música inesquecível… Disparada com Jair Rodrigues.

 

Quer saber agenda, contato e biografia:  

http://www.wilsonsimoninha.com.br/

 

Ficamos com o Simoninha e seus Sssss e tudo o que ” DEU CERTO!”

Até a próxima, Namastê.

Michele  Vanzella