Junno é um amigo querido, de longa data… vê-lo protagonizar personagens em novelas e curtir seu som que nos remete ao melhor rock dos anos 80 e ainda tê-lo na minha coluna, me deu uma grande alegria. Ele tem uma alma simples, adora uma aventura, tem sensibilidade pela energia de tudo o que é vida e sorriso. Para vocês, meu bate papo registrado com ele!
Você começou como ator ou músico, e qual foi o primeiro contato com o palco?
Comecei como músico, e meu primeiro contato com o palco foi muito tarde, inverti o processo e isso teve um preço muito caro na minha carreira e na minha vida também, entrei numa gravadora antes mesmo de ter pisado num palco….
Você toca rock dos anos 80, uma época de ouro para o gênero no Brasil, sente falta de novos ídolos? Quais eram os seus?
Sinto sim, acho que as coisas hoje em dia são efêmeras, com a mesma velocidade que chega, vai embora. Os problemas sociais,  as diferenças, o preconceito, enfim, todos os contrastes continuam escancarados na nossa cara, mas parece que ninguém tá afim de falar ou escrever a respeito, ou não tem ninguém afim de ouvir. A maioria dos jovens está buscando coisas mais rápidas de se consumir e descartar e não há boa vontade da mídia e também dos dirigentes de gravadora pra mudar esse cenário, na verdade acho que estão todos reféns da modernidade, ainda não sabemos tirar proveito dessa ferramenta.
Meus ídolos: The Beatlhes, Pink Floyd, Jimmy Hendrix, Jackson Five, Eric Clapton, Roberto Carlos, Djavan, Taiguara… por ai… eram muitos e muito bons! Final dos anos 60 e 70 foi musicalmente Mágico!
O que mais te faz feliz nas horas vagas?  Aquele momento de contato com teu espaço mais sagrado.
A felicidade muitas vezes vem daquela sensação de missão cumprida! Quando estou com meus filhos, minha namorada, minha família no meu cantinho, já me sinto repleto! Não preciso ir longe pra me sentir assim.
Namorar uma celebridade, quando é  bom ou quando atrapalha?
Namorar uma celebridade pode ser ruim sempre, se você vê-la dessa forma! Eu namoro a mulher, o ser humano, uma pessoa simples e apaixonante! O que pode tornar desagradável alguns momentos é a falta de bom senso das pessoas…
Planos na música e na dramaturgia, você faz ou deixa a vida seguir no fluxo….
O plano é sempre tentar fazer o melhor, ainda tenho muito pra aprender nos dois segmentos, não sou disciplinado, então as coisas tem um tempo mais lento pra mim… mas corro muito atrás, as contas nem sempre esperam o fluxo normal das coisas hahaha
Você tem algum tipo de ritual, antes de entrar no palco? Seja no teatro, na musica, nas gravações de tv?
Na verdade tenho mania de ficar aquecendo a voz, no carro mesmo, ou pouco antes de entrar, seja qual for o trabalho, na musica ou dramaturgia, preciso do meu tempinho ali fazendo os exercícios de aquecimento, mas não abraço árvore rsrs… meu silêncio é minha oração… peço apenas que Jesus entre comigo e se possível se divirta junto…
Uma alegria, um desafio, um desabafo, uma frase super alto astral para deixar a quem curte teu trabalho.
Minha alegria são os meus amores e meu trabalho. Uma frase que amo: “A SIMPLICIDADE É O ÚLTIMO DEGRAU DA SABEDORIA” (Khalil Gibran).
E assim, mais uma história “DEU CERTO” , com Junno Andrade.
Até a próxima, namastê!
Michele